Segurança, diminuição de complicações e uma recuperação mais rápida.

Novas tecnologias e centros de referência surgem para otimizar tratamentos e humanizar o atendimento de pacientes.

Unir a segurança do paciente ao conhecimento científico, à experiência e à busca contínua por inovações no segmento da assistência hospitalar fazem parte do trabalho das equipes médicas e de todo o corpo assistencial
do Hospital Moriah.

 

EQUIPE DE ORTOPEDIA DO HOSPITAL MORIAH. A partir da esquerda: Dra. Juliana Doering (Cirurgia de Pé, CRM 144.528); Dr. Alvaro Baik Cho (Cirurgia de Mão, CRM 87.055); Dr. Alexandre Povoa Barbosa (Cirurgia de Ombro, CRM 90.739); Dr. Marco Aurélio Silvério Neves (Cirurgia de Quadril,CRM 90.831); Dr. André Toraso Yamazaki (Cirurgia de Mão, CRM 90.750); Dr. Maurício Povoa Barbosa (Cirurgia de Pé, CRM 87.166) e Dr. Marco Demange (Cirurgia de Joelho, CRM 100.483).

 

A instituição, que surgiu com a proposta de resgate dos valores de acolhimento e humanização, sedimentados nas boas práticas de hospitalidade, investe em inovações tecnológicas que, aliadas a protocolos institucionais, proporcionam ainda mais segurança ao paciente, diminuição de complicações e uma recuperação mais rápida e tranquila após os procedimentos.

O Hospital, localizado em Moema, São Paulo, é especializado em técnicas cirúrgicas minimamente invasivas em diversas especialidades. Na área de ortopedia, o destaque fica por conta das cirurgias de quadril, joelho e tornozelos, realizadas em Centros de Excelência que envolvem equipes multidisciplinares e tratamentos integrados.

 

RECUPERAÇÃO MENOS DOLOROSA EM CIRURGIAS DO QUADRIL

Os quadris são articulações fortes e estáveis, mas quando há um desequilíbrio entre a carga que eles suportam e a capacidade dos músculos e ossos de absorvê-la, ocorrem as lesões.

“As lesões são separadas em dois grupos: aquelas que são causadas lentamente por um desgaste progressivo (degenerativas) e aquelas que acontecem abruptamente após um evento específico (lesões inflamatórias ou traumáticas). Certas condições, como osteoartrose e osteoporose, comuns em adultos mais velhos, podem afetar a saúde dos quadris. Para jovens e atletas, praticar esportes como corrida e atividades com saltos também podem levar a sobrecarga do quadril com consequentes lesões musculoesqueléticas, como a tendinite e bursite, além da disfunção chamada impacto femoroacetabular (IFA)”, comenta o especialista em cirurgia do quadril, Dr. Marco Aurélio Silvério Neves (CRM 90.831).

A técnica minimamente invasiva não corta a musculatura e respeita a anatomia dos nervos, vasos e tendões. Esse quadro é fundamental para uma recuperação menos dolorosa e mais ágil, com redução bastante considerável de possíveis complicações em comparação às técnicas tradicionais.

Entre os principais benefícios da intervenção cirúrgica em quadris estão a diminuição da dor pós-operatória, a redução do tempo de reabilitação, o encurtamento do tempo de permanência no hospital, menor perda de sangue – afastando o risco de tromboses. Além da melhora na estabilidade do quadril, tornando mínimo o risco de luxação e a limitação de movimentos
no período pós-operatório. Além disso, a possibilidade de mancar após a intervenção é reduzida, e é possível dirigir tão logo o paciente já não esteja mais sentindo dor e esteja com um bom controle de suas pernas, conforme avaliação e indicação do cirurgião.

 

ARTROPLASTIA DE JOELHO MENOS INVASIVA

As novas cirurgias para os problemas dos joelhos são menos invasivas do que no passado, permitindo uma reabilitação mais tranquila e resultados funcionais cada vez melhores. “As lesões de ligamento ocorrem de forma abrupta, enquanto a maior parte das lesões de cartilagem e artrose ocorrem de forma progressiva.

As lesões de cartilagem podem evoluir para artrose num período relativamente curto de tempo, principalmente se não forem tratadas numa fase mais inicial. A lesão do ligamento cruzado anterior é uma das lesões mais frequentes, assim como as mencionadas acima”, destaca o ortopedista e cirurgião de joelho, Dr. Marco Demange (CRM 100.483).

Conhecido como artroplastia de joelho, o procedimento é indicado para casos de artrites e lesões severas, que causam grande desconforto, dores e, em estágios mais avançados, prejudicam e limitam os movimentos das articulações. A abordagem é indicada quando outros tratamentos e procedimentos ortopédicos não foram suficientes para restaurar a integração das cartilagens e ossos do joelho.

O procedimento consiste na remoção dos tecidos cartilaginosos comprometidos e implantação de próteses, totais ou parciais, que são fixadas junto aos ossos, substituindo partes comprometidas das articulações.

 

LESÕES E FRATURAS

Há inúmeras maneiras de se lesionar ou fraturar algumas partes do corpo. O pé e o tornozelo são considerados duas das áreas mais delicadas e expostas do corpo humano. Além da sobrecarga – devido ao peso corporal – e do desgaste, consequência dos movimentos repetitivos, essas regiões apresentam outros problemas que são motivos de queixa constante dentro dos consultórios médicos.

A entorse do tornozelo, Hálux Valgus (Joanetes) e as inflamações tendíneas (tendão de Aquiles, tendões Fibulares e tendão Tibial Posterior) são os problemas mais comuns. De acordo com o ortopedista Dr. Maurício Povoa Barbosa (CRM 87.166), o tratamento para lesões de cartilagem avançou muito na última década. “Hoje, já é possível usar células progenitoras (concentrado de medula óssea) retiradas do próprio paciente. Além disso, a prótese de tornozelo já é uma realidade no Brasil, com fornecedores autorizados pela ANVISA”.

As cirurgias minimamente invasivas como, Artroscopias, Cirurgias Endoscópicas de Tendões e Fáscia Plantar, entram como opções para a reconstituição desses membros. Os procedimentos proporcionam a correção de deformidades, alongamentos ósseos com emprego de fixadores externos, entre outros.

Além disso, a instituição também disponibiliza o Centro Especializado em Lesões da Dança, que oferece procedimentos clínicos e cirúrgicos avançados para lesões, contusões e quaisquer condições que possam interferir na carreira dos bailarinos. “O diagnóstico prematuro e preciso é de extrema importância para evitar possíveis traumas ou sequelas que possam prejudicar não só a precisão dos movimentos durante uma performance, mas também evitar desgastes, dores e desconfortos que comprometam a qualidade de vida”, afirma a ortopedista do Hospital Moriah, Dra. Juliana Doering (CRM: 144.528).

 

RECUPERAÇÃO MAIS RÁPIDA

As cirurgias minimamente invasivas nos quadris trazem uma série de vantagens em relação aos procedimentos convencionais. Veja aqui:

– Menor risco de lesões musculares;
– Menos perda de sangue;
– Cicatrizes menores;
– Redução significativa de tempo de internação hospitalar;
– Menos dor no pós-operatório;
– Rápido retorno à rotina;
– Perspectiva de caminhar com muletas imediatamente após a cirurgia.

FONTE: MINIMALLY INVASIVE TOTAL HIP ARTHROPLASTY: ANTERIOR APPROACH; F. RACHBAUER; ORTHOPÄDE, 2006 JUL;35(7):723-4, 726-9. WHAT‘S NEW IN HIP ARTHROPLASTY; MH HUO ET AL; JBJS AM; 2005 SEP, 87(9):2133-46.

Hospital Moriah

Avenida Moaci 974 - Moema 04083 002 - São Paulo SP

Email

contato@hospitalmoriah.com.br

Telefone

55 11 5080 7800

Redes Sociais