Nós ligamos pra você!

Deixe seu nº de telefone

[contact-form-7 404 "Não encontrado"]
Tail Spin - Hospital Moriah
Carregando...

Doença Valvar

Doenças e Sintomas

As doenças valvares são o grupo de deficiências ou anomalias nas valvas do coração – aórtica, mitral, pulmonar e tricúspide. Elas podem ocorrer por conta de distúrbios congênitos ou em decorrência de patologias adquiridas.

Sintomas da doença valvar

O coração possui quatro cavidades: dois átrios e dois ventrículos. Separando cada uma das cavidades, há valvas que impedem o refluxo do sangue no momento da contração muscular, fazendo com que ele seja ejetado sempre no mesmo sentido, nutrindo o organismo por completo. Quando uma dessas valvas não funciona corretamente, o sangue pode fluir no sentido contrário ou sofrer uma resistência à sua ejeção, sobrecarregando o coração.

Entre os principais sintomas da doença valvar estão a falta de ar, a palpitação, o cansaço e os desmaios. O diagnóstico é realizado por meio de exames de imagem, sendo o mais importante o ecocardiograma e o tratamento deve ser individualizado, conforme cada caso, cada patologia e grau de deterioração valvar.

Quando possível, o reparo da valva é preferível. No entanto, não é raro que seja necessária a substituição da valva natural por uma prótese biológica ou mecânica.

Shutterstock 224276023 - Hospital Moriah

Tratamento

A doença valvar ocorre quando as valvas do coração se deterioram a ponto de perderem sua mobilidade original, oferecendo resistência à passagem do sangue, ou se tornarem insuficientes, permitindo o refluxo do sangue ejetado, com consequente sobrecarga das câmaras cardíacas. Isso pode causar cansaço, falta de ar, dores no peito e desmaios.

Tratamento da doença valvar

Após o diagnóstico realizado por avaliação clínica, feita pelo médico cardiologista e ecocardiograma, o médico definirá qual o tratamento mais adequado para cada quadro.

Geralmente, quando há a disfunção da valva mitral a pessoa pode se sentir cansada ao realizar atividades habituais. Nesse caso, já está indicada a cirurgia valvar, quando a equipe médica pode tentar consertá-la ou trocá-la, caso o dano seja muito extenso, por uma prótese.

No caso da valva aórtica, quando existe alteração, a pessoa pode sentir falta de ar importante, dores no peito e até desmaiar.

Para ambas doenças, a cirurgia pode ser feita de forma convencional, procedimento chamado esternotomia, onde abre-se o peito do paciente e o coração é operado através da abertura do osso esterno. Mas sempre que possível, a opção é a cirurgia minimamente invasiva, de forma que o peito do paciente não seja totalmente aberto, realizando ou uma esternotomia parcial ou uma toracotomia paraesternal, em que o corte pode ter em média quatro centímetros, entre o tórax e a axila.

A manipulação pode ser feita por videolaparoscopia, onde a equipe médica insere as ferramentas e uma câmera em pequenos furos. É possível, adotando o mesmo critério, realizar a cirurgia usando o robô cirúrgico da Vinci Xi. Tanto a correção, como a colocação de próteses valvares, pode ser feita por esses métodos cirúrgicos.

 

Implante de prótese valvar por cateterismo

Quando pacientes com diagnóstico de estenose da válvula aórtica possuem indicação de cirurgia, mas possuem alto risco de complicações, como idade avançada, por exemplo, a equipe médica pode optar pelo TAVI (sigla em inglês para Implante Percutâneo da Válvula Aórtica). Nesse procedimento, a prótese aórtica é inserida por cateter, via a artéria femoral.

Para a insuficiência mitral – doença da valva mitral que deixa o coração dilatado, e, apesar das medicações, o paciente experimenta muito cansaço – pode ser prescrito um procedimento de implante de um clipe mitral, que tem o objetivo de reduzir o vazamento de sangue através da valva, melhorando o funcionamento e a qualidade de vida do paciente.

O implante deste clipe é feito por meio de cateter, introduzido via artéria femoral.

Todos esses procedimentos menos invasivos proporcionam ao paciente uma recuperação e retorno às atividades mais rápidos, sem perda de qualidade de vida.

O Hospital Moriah conta com a estrutura ideal para a realização dos modernos procedimentos nas valvas do coração e com uma equipe médica pioneira e altamente especializada.

Equipe Médica

Dr. Robinson Poffo

CRM/SP: 133469
Telefone: +55 11 5080 7800

O Dr. Robinson Poffo possui Graduação em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1992) e residência em Cirurgia Cardiovascular pela Santa Casa de Misericórdia de Curitiba (1996).

Possui especialização em Cirurgia Cardiotorácica pela Universidade do Alabama (Birmingham, EUA, 1997) e mestrado em Medicina (Clínica Cirúrgica) pela Universidade Federal do Paraná (2000), Dr. Poffo aprofundou seus estudos em técnicas minimamente invasivas em países como Itália, Bélgica, Estados Unidos e Alemanha. Deste último, trouxe para o Brasil uma nova técnica de cirurgia cardíaca videoassistida minimamente invasiva, tornando-se referência nacional na área.

Em março de 2010, o cirurgião iniciou o projeto pioneiro de utilização do sistema robótico daVinci em cirurgia cardíaca na América Latina.
Atua principalmente na área de Cirurgia Cardíaca Minimamente Invasiva das valvas cardíacas, cardiopatias congênitas, insuficiência coronariana e doenças da aorta.

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, Especialista em Cirurgia Cardiovascular e Habilitado em Terapia de Implante por Catéter de Biopróteses Valvares Aórticas (TAVI) e Área de Atuação em Estimulação Cardíaca Eletrônica Implantável.

Membro Titular da Sociedade Brasiliera de VideoCirurgia – SOBRACIL e da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos.

Membro das seguintes Sociedades Internacionais e Programas: Global Physician Associate Program Cleveland Clinic, Society of Thoracic Surgeons, European Association for Cardio-Thoracic Surgery, International Society for Minimally Invasive Cardiothoracic Surgery, Society of Robotic Surgery, Heart Valve Society, International Society for Heart and Lung Transplantation Extracorporeal Life Support Organization.

Atua como revisor das revistas científicas Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery e Innovations, da qual participa da Diretoria Editorial.

Dr. Adriano Caixeta

CRM/SP: 66662
Telefone: +55 11 5080 7800

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Goiás, com residência em Cardiologia pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, especialização em Cardiologia Intervencionista pelo Instituto do Coração no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), Doutorado em Medicina pela Universidade de São Paulo e Pós-Doutorado em Clinical Research em Cardiologia Intervencionista na Columbia University Medical Center & Cardiovascular Research Foundation (Nova York, EUA), o Dr. Caixeta dedica seus estudos e pesquisa à Cardiologia Clínica, Cateterismo Cardíaco, Angioplastia Coronária, Implante de Stent, Intervenções Cardiovasculares Percutâneas e Implante de Válvula Aórtica por Cateter.

Atua como revisor de revistas científicas nacionais e internacionais, possui mais de 200 trabalhos publicados (entre artigos completos em periódicos e anais de eventos) e exerce atividades de ensino e pesquisa na UNIFESP na condição de Orientador do Programa de Pós-Graduação de Mestrado e Doutorado e Preceptor do Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista. Ainda na UNIFESP, o cirurgião também atua como Professor Adjunto e é o Vice-Coordenador do Programa de Pós-Graduação (Stricto Sensu) da disciplina de Cardiologia.

Dr. Diego Gaia

CRM/SP: 107683
Telefone: +55 11 5080 7800

O Dr. Diego é cardiologista e atua principalmente nas cirurgias minimamente invasivas, válvulas transcateter e doenças da aorta. Possui mestrado e doutorado em Cirurgia Cardiovascular pela Universidade Federal de São Paulo (2009), MBA em Gestão de Saúde pelo Insper (SP) e atua como Professor e Chefe da Disciplina de Cirurgia Cardiovascular da Universidade Federal de São Paulo. O médico também é o coordenador do setor de cirurgia minimamente invasiva e válvulas transcateter da Escola Paulista de Medicina.