Nós ligamos pra você!

Deixe seu nº de telefone

[contact-form-7 404 "Não encontrado"]
Tail Spin - Hospital Moriah
Carregando...

Cirurgia Robótica

Doenças e Sintomas

No Hospital Moriah a cirurgia robótica vem sendo largamente utilizada em procedimentos de retirada de tumores e outras cirurgias nas especialidades de:

    • Cardiologia: próteses valvares
    • Cirurgia Geral: retirada de tumores, retirada de vesícula biliar e outros procedimentos minimamente invasivos
    • Ginecologia: para cânceres ginecológicos, mioma e endometriose
    • Urologia:  para os cânceres de próstata e de rim

Tratamento

A cirurgia robótica é uma categoria das cirurgias minimamente invasivas, assim considerada por ser realizada com cortes menores e menos agressão ao corpo do paciente.

Desenvolvida nos anos 1980 e empregada pela primeira vez em humanos em 1998, nos Estados Unidos, a cirurgia robótica começou a ser pesquisada algumas décadas antes, como uma ferramenta para cirurgiões em tempos de guerra, ou seja, podendo operar um soldado à distância, sem estar dentro do campo de batalha.

A cirurgia robótica segue a mesma linha da cirurgia laparoscópica, também um tipo de cirurgia minimamente invasiva. São utilizados instrumentos longos, que trabalham dentro do paciente. Esses instrumentos são usados para realizar a maioria das cirurgias, como abdominais, torácicas, ginecológicas, urológicas, neurológicas e ortopédicas. A diferença é que na laparoscopia, as pinças são manipuladas pela mão do cirurgião.

Na cirurgia robótica, os instrumentos estão presos aos braços do robô, que por sua vez é comandado pelo cirurgião à distância, sentado em um console, com os dedos polegar, indicador e médio acionando um dispositivo semelhante a um joystick.

No Brasil, a cirurgia robótica teve início em 2008 e o Hospital Moriah se tornou um dos principais hospitais brasileiros na realização de procedimentos robóticos e um dos poucos que realiza todas as principais técnicas cirúrgicas.

Durante a cirurgia robótica, o cirurgião, mesmo sentado ao console, precisa ficar dentro da sala cirúrgica, e ter um cirurgião assistente ao lado do paciente, que é quem introduz os instrumentais. Em um dos braços robóticos vai a câmera, que transmite a imagem para o console e também para monitores que são acompanhados pelos profissionais dentro da sala cirúrgica. A visão que o médico tem ao console é em três dimensões ou seja, é como se ele estivesse operando o paciente em campo aberto (com o corte tradicional da região a ser operada) tamanha a qualidade da sua visão.

A cirurgia robótica é hoje uma das principais técnicas usadas no mundo para a retirada de tumores.

Equipe Médica

Cirurgia Cardíaca:

    • Dr. Robinson Poffo

Cirurgia Geral:

    • Dra. Ana Olga Nagano
    • Dr. Thiago Costa Ribeiro
    • Dr. Flávio Kawamoto

Ginecologia:

    • Dr. Mariano Tamura
    • Dr. Renato Moretti
    • Dra. Karen Gerencer

Urologia:

    • Dr. Victor Srougi
    • Dr. João Pádua Manzano
    • Dr. José Roberto Colombo