Segundo a World Obesity Federation, 30% da população será obesa em 2030, com alto risco de diabetes, problemas vasculares e metabólicos

No último dia 10, o Hospital Moriah lançou, em São Paulo, o Instituto de Obesidade e Diabetes, dirigido pela médica cirurgiã do aparelho digestivo Ana Olga Nagano Gomes Fernandes.

O novo instituto, coordenado também por Flávio Kawamoto, cirurgião do aparelho digestivo, reúne médicos de diferentes especialidades e também enfermeiros, nutricionistas e psicólogos para tratar, de várias maneiras, a obesidade, a síndrome metabólica, a diabetes e todos os demais problemas decorrentes, como a esteatose hepática não alcóolica e a apneia do sono.

Uma gama de tratamentos cirúrgicos é oferecida, mas o principal foco é o correto diagnóstico para direcionamento da melhor terapêutica para cada indivíduo, uma vez que o paciente com obesidade traz consigo características e histórias muito pessoais, bem como as comorbidades que ele pode desenvolver irão variar muito.

De acordo com a Dra. Ana Olga Nagano, um dos principais problemas que enfrentamos é o aumento de casos de esteatose hepática em decorrência da gordura que se acumula na região da barriga. “Esse acúmulo de gordura visceral é o que levará o indivíduo a desenvolver a doença do fígado que pode até levar a uma insuficiência hepática, que é uma condição tão grave que pode até evoluir para a necessidade do transplante”, afirma.

A boa notícia é que as cirurgias metabólicas possibilitam hoje que o paciente emagreça definitivamente sem ter perdas nutricionais e recupere todos os níveis saudáveis de colesterol, triglicérides e glicemia.

As principais técnicas cirúrgicas podem ser realizadas pela cirurgia robótica ou via laparoscópica e a escolha vai depender das características do paciente, tanto de condições de saúde, como aspectos anatômicos, mas também dos hábitos do próprio paciente, com relação à aderência às atividades físicas, questões sociais e alimentação.

O mais importante é que o paciente seja corretamente acompanhado, com exames diagnósticos periódicos e com acesso ao acompanhamento psicológico e nutricional, que também estão previstos no Instituto de Obesidade e Diabetes.

Saiba mais: 

Dr. Marco Aurélio Santo, Dra. Ana Olga Nagano Gomes Fernandes, Dr. Alexandre Teruya e Dr. Flávio Massato Kawamoto.
Dr. Marco Aurélio Santo, Dra. Ana Olga Nagano Gomes Fernandes, Dr. Alexandre Teruya e Dr. Flávio Massato Kawamoto.
Aula Magna com Dr. Marco Aurélio Santo.
Aula Magna com Dr. Marco Aurélio Santo.
Aula Magna com Dr. Marco Aurélio Santo, bancada de palestrantes (da esquerda para a direita: Dr. Flávio Massato Kawamoto, Dra. Ana Olga Nagano Gomes Fernandes, Dr. Roberto Blasbalg, Dr. Celso Ardengh, Dra. Sandra Cabelho e Dr. Luiz Turatti) e auditório.
Aula Magna com Dr. Marco Aurélio Santo, bancada de palestrantes (da esquerda para a direita: Dr. Flávio Massato Kawamoto, Dra. Ana Olga Nagano Gomes Fernandes, Dr. Roberto Blasbalg, Dr. Celso Ardengh, Dra. Sandra Cabelho e Dr. Luiz Turatti) e auditório.

Anterior
Próximo


Compartilhe nas redes sociais

Você também poderá gostar de ler...

Saiba qual é a relação entre hérnia abdominal e obesidade

Saiba qual é a relação entre hérnia abdominal e obesidade

As hérnias abdominais atingem entre 20% e 25% da população adulta, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hérnia.…

Continue lendo

Saiba quais podem ser os efeitos colaterais da quimioterapia

Saiba quais podem ser os efeitos colaterais da quimioterapia

Segundo um estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), foram registrados 625 mil novos casos de câncer no Brasil somente…

Continue lendo

Saiba quais são os riscos da alergia alimentar

Saiba quais são os riscos da alergia alimentar

De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), cerca de 8% das crianças sofrem com algum tipo…

Continue lendo