Segurança, diminuição de complicações e uma recuperação mais rápida.

Novas tecnologias e centros de referência surgem para otimizar tratamentos e humanizar o atendimento de pacientes.

Unir a segurança do paciente ao conhecimento científico, à experiência e à busca contínua por inovações no segmento da assistência hospitalar fazem parte do trabalho das equipes médicas e de todo o corpo assistencial
do Hospital Moriah.

 

EQUIPE DE ORTOPEDIA DO HOSPITAL MORIAH. A partir da esquerda: Dra. Juliana Doering (Cirurgia de Pé, CRM 144.528); Dr. Alvaro Baik Cho (Cirurgia de Mão, CRM 87.055); Dr. Alexandre Povoa Barbosa (Cirurgia de Ombro, CRM 90.739); Dr. Marco Aurélio Silvério Neves (Cirurgia de Quadril,CRM 90.831); Dr. André Toraso Yamazaki (Cirurgia de Mão, CRM 90.750); Dr. Maurício Povoa Barbosa (Cirurgia de Pé, CRM 87.166) e Dr. Marco Demange (Cirurgia de Joelho, CRM 100.483).

 

A instituição, que surgiu com a proposta de resgate dos valores de acolhimento e humanização, sedimentados nas boas práticas de hospitalidade, investe em inovações tecnológicas que, aliadas a protocolos institucionais, proporcionam ainda mais segurança ao paciente, diminuição de complicações e uma recuperação mais rápida e tranquila após os procedimentos.

O Hospital, localizado em Moema, São Paulo, é especializado em técnicas cirúrgicas minimamente invasivas em diversas especialidades. Na área de ortopedia, o destaque fica por conta das cirurgias de quadril, joelho e tornozelos, realizadas em Centros de Excelência que envolvem equipes multidisciplinares e tratamentos integrados.

 

RECUPERAÇÃO MENOS DOLOROSA EM CIRURGIAS DO QUADRIL

Os quadris são articulações fortes e estáveis, mas quando há um desequilíbrio entre a carga que eles suportam e a capacidade dos músculos e ossos de absorvê-la, ocorrem as lesões.

“As lesões são separadas em dois grupos: aquelas que são causadas lentamente por um desgaste progressivo (degenerativas) e aquelas que acontecem abruptamente após um evento específico (lesões inflamatórias ou traumáticas). Certas condições, como osteoartrose e osteoporose, comuns em adultos mais velhos, podem afetar a saúde dos quadris. Para jovens e atletas, praticar esportes como corrida e atividades com saltos também podem levar a sobrecarga do quadril com consequentes lesões musculoesqueléticas, como a tendinite e bursite, além da disfunção chamada impacto femoroacetabular (IFA)”, comenta o especialista em cirurgia do quadril, Dr. Marco Aurélio Silvério Neves (CRM 90.831).

A técnica minimamente invasiva não corta a musculatura e respeita a anatomia dos nervos, vasos e tendões. Esse quadro é fundamental para uma recuperação menos dolorosa e mais ágil, com redução bastante considerável de possíveis complicações em comparação às técnicas tradicionais.

Entre os principais benefícios da intervenção cirúrgica em quadris estão a diminuição da dor pós-operatória, a redução do tempo de reabilitação, o encurtamento do tempo de permanência no hospital, menor perda de sangue – afastando o risco de tromboses. Além da melhora na estabilidade do quadril, tornando mínimo o risco de luxação e a limitação de movimentos
no período pós-operatório. Além disso, a possibilidade de mancar após a intervenção é reduzida, e é possível dirigir tão logo o paciente já não esteja mais sentindo dor e esteja com um bom controle de suas pernas, conforme avaliação e indicação do cirurgião.

 

ARTROPLASTIA DE JOELHO MENOS INVASIVA

As novas cirurgias para os problemas dos joelhos são menos invasivas do que no passado, permitindo uma reabilitação mais tranquila e resultados funcionais cada vez melhores. “As lesões de ligamento ocorrem de forma abrupta, enquanto a maior parte das lesões de cartilagem e artrose ocorrem de forma progressiva.

As lesões de cartilagem podem evoluir para artrose num período relativamente curto de tempo, principalmente se não forem tratadas numa fase mais inicial. A lesão do ligamento cruzado anterior é uma das lesões mais frequentes, assim como as mencionadas acima”, destaca o ortopedista e cirurgião de joelho, Dr. Marco Demange (CRM 100.483).

Conhecido como artroplastia de joelho, o procedimento é indicado para casos de artrites e lesões severas, que causam grande desconforto, dores e, em estágios mais avançados, prejudicam e limitam os movimentos das articulações. A abordagem é indicada quando outros tratamentos e procedimentos ortopédicos não foram suficientes para restaurar a integração das cartilagens e ossos do joelho.

O procedimento consiste na remoção dos tecidos cartilaginosos comprometidos e implantação de próteses, totais ou parciais, que são fixadas junto aos ossos, substituindo partes comprometidas das articulações.

 

LESÕES E FRATURAS

Há inúmeras maneiras de se lesionar ou fraturar algumas partes do corpo. O pé e o tornozelo são considerados duas das áreas mais delicadas e expostas do corpo humano. Além da sobrecarga – devido ao peso corporal – e do desgaste, consequência dos movimentos repetitivos, essas regiões apresentam outros problemas que são motivos de queixa constante dentro dos consultórios médicos.

A entorse do tornozelo, Hálux Valgus (Joanetes) e as inflamações tendíneas (tendão de Aquiles, tendões Fibulares e tendão Tibial Posterior) são os problemas mais comuns. De acordo com o ortopedista Dr. Maurício Povoa Barbosa (CRM 87.166), o tratamento para lesões de cartilagem avançou muito na última década. “Hoje, já é possível usar células progenitoras (concentrado de medula óssea) retiradas do próprio paciente. Além disso, a prótese de tornozelo já é uma realidade no Brasil, com fornecedores autorizados pela ANVISA”.

As cirurgias minimamente invasivas como, Artroscopias, Cirurgias Endoscópicas de Tendões e Fáscia Plantar, entram como opções para a reconstituição desses membros. Os procedimentos proporcionam a correção de deformidades, alongamentos ósseos com emprego de fixadores externos, entre outros.

Além disso, a instituição também disponibiliza o Centro Especializado em Lesões da Dança, que oferece procedimentos clínicos e cirúrgicos avançados para lesões, contusões e quaisquer condições que possam interferir na carreira dos bailarinos. “O diagnóstico prematuro e preciso é de extrema importância para evitar possíveis traumas ou sequelas que possam prejudicar não só a precisão dos movimentos durante uma performance, mas também evitar desgastes, dores e desconfortos que comprometam a qualidade de vida”, afirma a ortopedista do Hospital Moriah, Dra. Juliana Doering (CRM: 144.528).

 

RECUPERAÇÃO MAIS RÁPIDA

As cirurgias minimamente invasivas nos quadris trazem uma série de vantagens em relação aos procedimentos convencionais. Veja aqui:

– Menor risco de lesões musculares;
– Menos perda de sangue;
– Cicatrizes menores;
– Redução significativa de tempo de internação hospitalar;
– Menos dor no pós-operatório;
– Rápido retorno à rotina;
– Perspectiva de caminhar com muletas imediatamente após a cirurgia.

FONTE: MINIMALLY INVASIVE TOTAL HIP ARTHROPLASTY: ANTERIOR APPROACH; F. RACHBAUER; ORTHOPÄDE, 2006 JUL;35(7):723-4, 726-9. WHAT‘S NEW IN HIP ARTHROPLASTY; MH HUO ET AL; JBJS AM; 2005 SEP, 87(9):2133-46.


Compartilhe nas redes sociais

Você também poderá gostar de ler...

Saiba qual é a relação entre hérnia abdominal e obesidade

Saiba qual é a relação entre hérnia abdominal e obesidade

As hérnias abdominais atingem entre 20% e 25% da população adulta, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hérnia.…

Continue lendo

Saiba quais podem ser os efeitos colaterais da quimioterapia

Saiba quais podem ser os efeitos colaterais da quimioterapia

Segundo um estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), foram registrados 625 mil novos casos de câncer no Brasil somente…

Continue lendo

Saiba quais são os riscos da alergia alimentar

Saiba quais são os riscos da alergia alimentar

De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), cerca de 8% das crianças sofrem com algum tipo…

Continue lendo