Especialistas comentam sobre a prática e revelam se pode trazer algum benefício ou malefício: veja mitos e verdades

Você é do time que gosta de estalar os dedos frequentemente só para ouvir aquele “estalido” ou para sentir aquela sensação de alívio e relaxamento? Ou é do grupo que tem aflição? Alguns gostam, acham o som divertido. Outros são ansiosos e dizem que o gestual pode aliviar a pressão e o estresse. Mas até que ponto isso pode ser um problema? Especialistas contam para o Eu Atleta o que é verdade ou mentira sobre as estaladas de dedo.

Por que estalamos? Como ocorre o barulho?

Os “estalos” ouvidos são decorrentes da tensão superficial criada pelo líquido sinovial, o responsável por lubrificar as articulações, reduzir o atrito entre os ossos e ainda preservar a cartilagem. Esse líquido se separa pela pressão imposta aos ossos pelo movimento que gera o estalido, que quebram a tensão superficial e produzem o som. Quando aliviamos a pressão, após o estalo, sentimos a sensação de alívio e relaxamento.

Estalar os dedos faz mal? Engrossa os dedos?

Temos três mitos relacionados ao tema:
1. Não faz mal, especialmente se feito oca e não existe comprovação científica de que isso possa prejudicar ligamentos ou ossos, segundo o médico ortopedista Álvaro Baik Cho.
2. Não leva a doenças ou deformações, como a artrite, um processo inflamatório, ou a osteoporose, que está relacionada mais a uma perda de cálcio, da parte mineral do osso.
3. Não engrossa os dedos.

– Isso (engrossar os dedos) ocorre por conta do processo de desgaste das cartilagens pela osteoartrose e da osteoartrite, não por estalá-los – conta Álvaro.

Segundo um artigo da Harvard Health Publishing sobre o tema, um médico na Califórnia realizou um experimento com ele mesmo, estalando regularmente seus dedos de apenas uma das mãos. Após uma década, o diagnóstico do raio-x não apontou diferença entre as mãos e nem qualquer outro problema.

Pode ser um problema quando há dor?

Aqui há uma verdade. Realmente, se você torcer os dedos até ouvir aquele barulho familiar, mas sentir dor, pode haver alguma condição médica ortopédica ou articular que é revelada e agravada por essa pressão. Se os dedos estiverem inchados ou com movimentos limitados, a articulação pode estar danificada.

O ortopedista ainda alerta sobre o estalo involuntário.

– Se ocorrer ocasionalmente e sem dor é chamado de plica, uma alteração na parte interna da articulação. E não é considerado grave. Mas se tiver dor, precisa procurar um especialista para avaliar – sugere.

Pode estar relacionado à ansiedade?

Para a terapeuta Ivana Cabral, se a pessoa está apresentando crises de ansiedade, ela precisa avaliar se algo em sua vida está provocando os sintomas, como uma separação, uma doença, uma morte na família, pressão no trabalho etc. Ou se eles vêm sem motivo aparente, de forma repentina, e acompanhados de outros sinais.

– Se você tem um motivo, é normal se sentir ansioso e usar o estalar dos dedos para se acalmar. Mas se aparecer uma sensação inexplicável de medo, respiração irregular, taquicardia, tremores no corpo ou nas mãos, precisa procurar um psicólogo e passar por uma avaliação – conta.

Fontes: Álvaro Baik Cho, médico ortopedista do Hospital Moriah (São Paulo), especialista em mão e punho. Ivana Cabral, psicóloga.
Reportagem de Ana Marigliani, para o blog Eu Atleta, publicada em 20 de dezembro de 2022

Link para acesso: https://ge.globo.com/eu-atleta/saude/guia/2022/12/20/c-estalar-os-dedos-pode-fazer-mal-engrossa-os-dedos.ghtml

Crédito da imagem: IStock Getty Images

Compartilhe nas redes sociais

Você também poderá gostar de ler...

Saiba tudo sobre leucemia mieloide aguda

Saiba tudo sobre leucemia mieloide aguda

O quadro "O Hospital Responde", produzido pelo programa Domingo Espetacular, da Record TV, convidou a Dra. Daniela…

Continue lendo

Saiba mais sobre a insônia

Saiba mais sobre a insônia

O quadro "O Hospital Responde" (produzido pelo programa Domingo Espetacular, da Record TV) convidou o Dr. Djacir…

Continue lendo

Alzheimer: entenda os fatores que contribuem para o desenvolvimento da doença

Alzheimer: entenda os fatores que contribuem para o desenvolvimento da doença

No quadro "O Hospital Responde" (produzido pelo programa Domingo Espetacular, da Record TV), o Dr. Eduardo Sousa,…

Continue lendo